Pular para o conteúdo principal

Postagens

"MILAGRES DE CADA MOMENTO,PINTANDO PAZ" COM KAZ TANAHASHI SENSEI NO BRASIL EM JUNHO DE 2018

Kazuaki Tanahashi Sensei: professor, artista e erudito Zen BudistaUm mestre   Zen Dogen caligrafista
Ativista da Paz e mestre caligrafista e artista renomado, Kazuaki Tanahashi tem feito exposições ao redor do mundo há 50 anos. No Brasil, além de exposições, Kazuaki Tanahashi oferecerá palestras e demonstrações ao vivo da pintura do Círculo Zen, símbolo que tradicionalmente representa a “iluminação”, ou “uma experiência completa de cada momento”, que abrange o perfeito e o imperfeito. Nas suas oficinas, são exploradas as técnicas e a estética básicas, bem como o aspecto Zen da caligrafia oriental. Nas vésperas da chegada de Kazuaki Tanahashi Sensei ao Brasil, a Bodisatva publicará três textos de sua autoria até o início de junho. Celebrando este encontro tão auspicioso organizado pelo Centro de Estudos Budistas Bodisatva (CEBB), faremos uma contagem regressiva especial: até a data de sua vinda, estaremos publicando um texto por semana do livro Painting Peace: Art in a Time of Global Crisis…
Postagens recentes

UM MESTRE ZEN EXPLICA A ARTE DE 'DEIXAR IR', E NÃO É O QUE VOCÊ PENSA

UM MESTRE ZEN EXPLICA A ARTE DE 'DEIXAR IR', E NÃO É O QUE VOCÊ PENSA
Christina Sarich, Convidado 
Waking Times Thich Naht Hanh , o mestre Zen Budista, tem alguns conselhos interessantes sobre o que significa realmente deixar ir. Muitas pessoas confundem o desapego ou o não-apego como uma forma de indiferença ou desconexão emocional dos outros, mas, como Hanh explica, deixar de ir, com frequência, significa amar alguém mais do que você jamais amou antes. O Buda ensinou que o desapego, uma das disciplinas do Nobre Caminho, também chamado  ariyasaavaka, não é um ato físico de retraimento ou mesmo uma forma de austeridade. Embora o Buda ensine uma  “não-ação que é uma parte integral do Caminho Certo”,  se for tirado de contexto, pode dar a impressão de que devemos desenvolver uma falta de interesse pelos outros, e que devemos viver sem verdadeiramente sentindo ou expressando nossas emoções - nos isolando da vida. Esses tipos de interpretações erradas são tristemente  comuns , uma vez …